Revista Ave Maria

Artigos da revista › 10/05/2017

Monte das Bem-Aventuranças

Bem-aventurados os que têm um coração de pobre, porque deles é o Reino dos Céus!” (Mt 5,3)

 

Tradicionalmente, o lugar chamado monte das Bem-aventuranças ou monte das Beatitudes está localizado a noroeste do mar da Galileia, entre Cafarnaum e Genesaré. O local exato em que Jesus pronunciou seu discurso é incerto, mas acredita-se que Ele estava na parte inferior do monte, pois a posição geográfica onde está localizada a igreja forma um anfiteatro natural, inclinando-se até o lado do lago. É um lugar de beleza inigualável que convida o visitante a contemplar o esplendor de Deus e fazer um belo retiro motivado pela fé em Jesus Cristo.

O espaço é coberto por vegetação própria, e descobriram-se sete mananciais de água que possibilitam a formação de ervas e palmeiras. Essa parte do lago é rica em peixes. Segundo um texto encontrado pelo Diácono Liber de Locis Sanctis (1115-1134), atribuído à peregrina Egéria, o monte das Bem-aventuranças fica ao lado de Tabgha, onde se deu a multiplicação dos pães e dos peixes. Entre os séculos IV e V havia nesse lugar uma capela que pertencia a um mosteiro.

Em 1937 foi edificado um novo templo, o atual santuário, numa posição mais elevada para possibilitar a vista panorâmica do lago. O formato da igreja é muito especial: octogonal, com uma cúpula escura, rodeada por um amplo pórtico, e no interior um espaço simples. Foi projetada e construída pelo arquiteto Antonio Barluzzi, que utiliza muita simbologia numérica em suas obras.

Na frente da igreja, os símbolos no pavimento representam justiça, prudência, fortaleza, fé, caridade e moderação. Dentro dela realça-se o manto da visita do Papa Paulo VI em 1964.

O peregrino pode passar horas em meditação, admirando os belos jardins e fazendo sua reflexão sobre os capítulos de Mateus 5-7 e Lucas 6. Nas Bem-aventuranças, Jesus resume o ideal de vida cristã: “Jesus retoma as promessas feitas ao povo eleito, desde Abraão. Completa-as, ordenando-as, não já somente à felicidade resultante da posse de uma terra, mas ao Reino dos Céus” (Catecismo da Igreja Católica, nº 1.716).

O monte das Bem-aventuranças é verdadeiramente um local de encontro com Jesus Cristo e com a beleza do Pai: “Elas iluminam as ações e atitudes que caracterizam a vida cristã, exprimem o que significa ser discípulo de Cristo, ter sido chamado a associar-se à sua Paixão e Ressurreição” (Catecismo da Igreja Católica, nº 1.717).

Bem-aventurados são todos aqueles que escutam a Palavra de Cristo e a colocam em prática; os que doam sua vida para que o Reino frutifique e entendem que a vida só tem sentido quando nos sentamos aos pés do Senhor para servi-lo. O cristão é sal e luz do mundo à medida que avança na busca da santidade e transforma sua fé em obras de amor ao próximo. Esta é a verdadeira essência das Bem-aventuranças.

Artigo de autoria do Padre Nilton César Boni, cmf. 

Texto extraído da seção “Peregrinação e fé” da Revista Ave Maria – Edição Maio/2017.

Deixe o seu comentário





* campos obrigatórios.